Instituto de Saúde

A A A Tamanho do texto

Revisões rápidas avaliam eficácia da Yoga no tratamento de doenças

 

 

7 de outubro de 2020

 

Yoga é um conjunto de conhecimentos de mais de 5 mil anos que busca harmonizar o corpo com a mente e a respiração, através de técnicas de respiração, posturas específicas e meditação.

 

A cada ano, essa prática ganha cada vez mais adeptos no mundo inteiro e no Brasil não poderia ser diferente. A tecnologia passou a ser utilizada como um meio de promover e ensinar a yoga para o grande público gratuitamente, através de canais no YouTube ou aplicativos.

 

Muitas pessoas decidem aprender as técnicas por si mesmas buscando melhores condições de vida física e/ou mental, contudo é possível que a prática realmente traga benefícios à saúde?

 

O Centro de Tecnologias de Saúde para o SUS/SP, que participa de projeto da Fiocruz Brasília, realizou uma série de revisões rápidas relacionando a prática da yoga com três grandes problemas das fases adulta e idosa da sociedade contemporânea: a obesidade, a dor e a ansiedade e depressão.

 

Yoga e a obesidade

A pesquisa foi realizada em sete bases de dados com revisões em português, inglês e espanhol.

 

Dos 56 relatos encontrados os resultados mostraram que a yoga, em comparação a nenhum tratamento, dieta ou com cuidados usuais, pode ser eficaz apenas na redução do IMC de pessoas adultas com obesidade ou que apresentam sobrepeso.

 

Yoga e a dor

Nesse relatório foi avaliada a eficácia da yoga para tratamento da dor aguda ou crônica em população adulta.

 

As buscas foram realizadas nas bases de dados Pubmed, HSE - Health Systems Evidence, Epistemonikos, Portal Regional da BVS, HE - Health Evidence e Embase, em 27 de setembro de 2019, com revisões sistemáticas em português, inglês e espanhol.

 

De 693 artigos identificados, dez revisões sistemáticas foram selecionadas, oito delas com meta-análises (análises estatísticas de resultados de diferentes estudos individuais, com o objetivo de integrá-los, combinando e resumindo seus resultados).

 

As revisões sistemáticas (método utilizado na avaliação de um conjunto de dados provenientes de diferentes estudos com o objetivo de responder uma questão específica), apresentaram resultados favoráveis à prática de yoga em relação aos cuidados habituais, particularmente nos casos de dor lombar e cervical.

 

Em outras situações estudadas, como a dor associada a fibromialgia, osteoartrite, artrite reumatoide, síndromes do túnel do carpo e do intestino irritável, as evidências são menos consistentes.

 

Yoga e a ansiedade e depressão

Nesse estudo foram utilizadas cinco bases de dados além de revisões sistemáticas que versavam sobre os efeitos da yoga na redução ou controle da ansiedade e da depressão na população adulta e idosa.

 

A partir de 635 relatos identificados nas bases de dados, 43 foram considerados elegíveis e lidos na íntegra e 23 incluídos em síntese qualitativa.

 

Pacientes diagnosticados com transtornos depressivos, na maior parte das revisões, relataram melhora de suas condições após terem realizado a yoga, inclusive com efeitos de grande magnitude no curto prazo.

 

Da mesma forma, foram observados efeitos positivos da yoga na redução de sintomas de ansiedade e depressão em mulheres no período perinatal e em idosos.

 

Resultados conflitantes foram encontrados para a prática de yoga entre pacientes com transtornos de ansiedade.

Comunicar Erro




Enviar por E-mail






Colabore


Obrigado