Instituto de Saúde

A A A Tamanho do texto

Coletânea debate a produção e a circulação dos discursos sobre a covid-19 nas mídias

28 de maio de 2021

 

Resultado do trabalho coletivo de um grupo de 30 autoras e autores ligados a diferentes universidades e centros de pesquisa, o livro Covid-19: versões da pandemia nas mídias analisa a construção e a circulação dos discursos em torno dos conhecimentos e das práticas que emergiram a partir da maior crise sanitária global dos últimos cem anos. Para tanto, a coletânea acompanha as narrativas públicas sobre os eventos, os números, as mortes e os debates produzidos e disseminados por diversas mídias, as tradicionais e as digitais, ao longo da primeira onda da covid-19, entre março e dezembro de 2020.

 

 

Sob uma perspectiva crítica, os 14 artigos que formam a coletânea analisam como, em um contexto de intensa midiatização da vida, foram produzidas versões da pandemia que redundaram em um mosaico discursivo performado por uma ampla gama de atores (pessoas comuns, profissionais de saúde, cientistas, especialistas, documentos oficiais, estudos científicos, boletins epidemiológicos etc.), materialidades (corpos, caixões, leitos de UTI, respiradores, luvas, álcool em gel, hospitais de campanha, máscaras, testes rápidos, medicamentos) e dispositivos de inscrição que se tornaram, para muitos, parte de rituais cotidianos (como higienizar as mãos e verificar diariamente o número de casos e de óbitos provocados pela doença). Mosaico que transbordou para as conversas cotidianas uma gramática até então circunscrita às comunidades peritas (imunidade de rebanho, achatamento da curva, percentual de ocupação hospitalar, taxa de transmissão e de letalidade, média móvel de casos e mortes, vacinas e seus complexos processos de produção, a “fotografia” do vírus) e alterou profundamente as sociabilidades, os modos de convivência habituais, sob longos e confusos períodos de distanciamento social, ora mais rigorosos, ora mais flexíveis.

 

Com abordagem construcionista e laços teórico-metodológicos com o Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Práticas Discursivas no Cotidiano (Nuprad), Covid-19: versões da pandemia na mídia é, sobretudo, resultado de diálogos interdisciplinares e interinstitucionais, expressos na vinculação de seus autores/as a 11 instituições acadêmico-científicas, nas áreas da psicologia social, saúde pública, comunicação e saúde, jornalismo e saúde, comunicação de risco em saúde e vigilância sanitária. A obra, publicada no Portal de Livros Abertos da USP, de acesso público e gratuito, é organizada por Mary Jane Spink, coordenadora do Nuprad e professora da PUC/SP, Mariana Prioli Cordeiro, professora do Instituto de Psicologia (IPUSP), Jacqueline I. Machado Brigagão, professora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH-USP) e Cláudia Malinverni, pesquisadora do Instituto de Saúde do Estado de São Paulo.

 

Confira a live de lançamento da publicação aqui

 

Núcleo de Comunicação Técnico-Científica

Comunicar Erro




Enviar por E-mail






Colabore


Obrigado