SUCEN - Superintendência de Controle de Endemias

A A A Tamanho do texto

Vetores e Doenças

Vetores e Doenças - Linhas de Pesquisa

 

Organização das Áreas/ Linhas de Pesquisa na SUCEN

 

O presente documento se propõe a iniciar uma discussão mais ampla do assunto, a partir da apresentação de linhas de pesquisas em subáreas de concentração que visam atender a missão institucional, nas várias áreas do conhecimento constituídas na SUCEN.

Algumas das linhas formuladas exigem a integração com outras instituições com responsabilidade no desenvolvimento de ações no âmbito da saúde pública.


A definição das linhas de pesquisa é um fator que, afora o favorecimento da integração definitiva da instituição no sistema de Ciência e Tecnologia Paulista, deve orientar a aplicação dos recursos institucionais em pesquisa, facilitar a captação eficiente de recursos materiais e financeiros junto às agências de fomento científico e tecnológico e, principalmente, subsidiar a indução de pesquisa no âmbito da SUCEN.


Foram identificadas 2 Áreas: - Pesquisa e Desenvolvimento Científico, entendido como aquela que tem como foco a obtenção de conhecimento para o adequado controle de vetores e hospedeiros intermediários das doenças prevalentes no estado de São Paulo; e – Desenvolvimento Tecnológico cujos estudos estão voltados à geração de novas tecnologias. Para cada área foram definidas sub-áreas e respectivas linhas de pesquisa.


Para a estruturação das linhas de pesquisa foram considerados: - o edital do CNPq voltado à indução de projetos em doenças negligenciadas; diretório dos grupos de pesquisa cadastrados no CNPq, e – as necessidades de estudos identificados pelo Grupo de Trabalho que, em 2004, formulou o documento sobre Prioridades de Pesquisa em Entomologia.

 

• Área I: Pesquisa e Desenvolvimento Científico

 

° Sub-área 1 – Biologia e ecologia de vetores e hospedeiros intermediários

 

1) Estudos da diversidade de agentes etiológicos, hospedeiros intermediários e vetores relacionados à transmissão de doenças, a distribuição geográfica ou ao impacto ambiental;

2) Genética molecular e evolutiva de vetores, hospedeiros intermediários e agentes de doenças.


3) Estudos taxonômicos e filogenéticos de espécies de vetores e hospedeiros intermediários pertencentes a complexos de espécies e espécies crípticas;


4) Desenvolvimento de marcadores moleculares em parasitas e vetores/ hospedeiros intermediários para o estudo da expansão de doenças.


5) Estudos de mecanismos comportamentais, fisiológicos, genéticos e bioquímicos da resistência a inseticidas;


6) Ecologia dos ciclos de transmissão e avaliação de riscos e impacto das alterações ambientais sobre a distribuição de doenças


7) Estudos ecológicos, comportamentais, capacidade vetorial, etc.


8) Estudos fisiológicos, genéticos, bioquímicos, etc.

 

° Sub-área 2 – Parasitologia

1) Estudos da relação agente-vetor e parasita-hospedeiro;


2) Avaliações da competência vetorial;


3) Estudos de técnicas de diagnóstico de doenças.


4) Detecção de agentes causadores de doenças;


5) Estudos de reservatórios;


6) Detecção de agentes etiológicos em vetores e hospedeiros intermediários.

 

° Sub-área 3 – Epidemiologia

1) Avaliação de fatores de risco e outros associados na transmissão de doenças;


2) Estudo de modelos preditivos de risco de ocorrência de doenças;


3) Estudos imunoepidemiológicos e soroepidemiológicos;


4) Estudos de bio-informática ou biologia computacional para a exploração de genomas de agentes infecciosos e vetores/ hospedeiros de doenças;


5) Estudos em geoprocessamento: epidemiologia paisagística, georeferenciamento e análise espacial de informações em saúde e meio ambiente;


6) Epidemiologia molecular;


7) Impacto econômico das doenças;


8) Epidemiologia descritiva

 

° Sub-área 4 – Educação em Saúde

 

1) Estudos sobre práticas pedagógicas em saúde;


2) Estudos sobre comunicação em saúde;


3) Estudos sobre mobilização social;


4) Estudos de estratégias para educação do profissional de saúde;


5) Desenvolvimento e validação de metodologias utilizadas no processo educativo.

 

• Área II: Desenvolvimento Tecnológico

 

° Sub-área 1 – Desenvolvimento, avaliação e aplicação de métodos de controle

 

1) Avaliação de desempenho e/ ou custo-efetividade de diferentes formas de implementação e operacionalização das estratégias de controle;


2) Avaliação de serviço e desenvolvimento de programas;


3) Implantação de novos métodos e tecnologias;


4) Avaliação de eficácia de inseticida e dos métodos de aplicação.

 

° Sub-área 2 – Vigilância em Saúde Pública

 

1) Construção e avaliação de indicadores de infestação vetorial em áreas de risco de ocorrência de doenças;


2) Avaliação de sistemas de informação e criação de bancos de dados;


3) Monitoramento da suscetibilidade a inseticidas (dosagem, concentração bioquímico etc).

Comunicar Erro




Enviar por E-mail






Colabore


Obrigado