brasão governo do estado de são paulo

Em atendimento à legislação eleitoral (Lei nº 9.504/1997), os demais conteúdos desse site ficarão indisponíveis de 5 de julho de 2018 até o final da eleição estadual em São Paulo.

A A A Tamanho do texto

SP lança site sobre profilaxia pós-exposição ao HIV

A Coordenação Estadual DST/Aids-SP, ligada à Secretaria de Estado da Saúde, lançou no começo deste mês um site específico relacionado à profilaxia pós-exposição ao vírus HIV.

Método de prevenção da infecção pelo vírus HIV utiliza os medicamentos que fazem parte do coquetel para tratamento da Aids

A Coordenação Estadual DST/Aids-SP, ligada à Secretaria de Estado da Saúde, lançou no começo deste mês um site específico relacionado à profilaxia pós-exposição ao vírus HIV. Trata-se de uma forma de prevenção da infecção pelo vírus HIV utilizando-se os medicamentos que fazem parte do coquetel para tratamento da Aids.

"Este método é indicado para pessoas que possam ter entrado em contato com o vírus recentemente, por meio de relação sexual desprotegida, ou seja, sem camisinha", explica Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual DST/Aids-SP.

Esses medicamentos precisam ser tomados por 28 dias, sem interrupção, pra impedir a infecção pelo vírus HIV, sob orientação médica. Essa forma de prevenção já é usada com sucesso em casos de violência sexual e de profissionais da área da saúde que se acidentam com agulhas e outros objetos cortantes contaminados.

O site fornece orientação geral para casos de exposição ao vírus. É importante procurar o quanto antes um serviço credenciado. O uso do medicamento deve ser iniciado o mais cedo possível. “O ideal é que a pessoa comece a tomar a medicação em até 2 horas após a exposição ao vírus, e no máximo em 72 horas. A eficácia diminui à medida que o tempo passa”, declara a infectologista Denize Lotufo, coordenadora da rede de quimioprofilaxia no Estado de São Paulo. É importante ressaltar que a existência desses métodos não reduz de forma alguma a importância do uso de preservativos em relações sexuais.

“A população de gays e outros homens que fazem sexo com homens e travestis tem preferência no acesso a esse atendimento de urgência, uma vez que a proporção de pessoas com HIV nesse segmento populacional é superior à população geral”, comenta a médica.

O site http://www3.crt.saude.sp.gov.br/profilaxia/hotsite/ contém endereços de mais de 300 serviços cadastrados onde a profilaxia encontra-se disponível e também as dúvidas mais frequentes. Você também pode informar-se por meio do Disque DST/Aids: 0800 16 25 50.
Publicado por Assessoria de Imprensa em