brasão governo do estado de são paulo

Em atendimento à legislação eleitoral (Lei nº 9.504/1997), os demais conteúdos desse site ficarão indisponíveis de 5 de julho de 2018 até o final da eleição estadual em São Paulo.

A A A Tamanho do texto

Atropelamentos e acidentes com motos lideram principais causas de internação por trauma

Estudo feito pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, mostra que atropelamentos e acidentes com motocicletas são as principais causas de internação por traumas no Serviço de Cirurgia de Emergência e Trauma do pronto-socorro do Instituto Central.

As duas causas juntas correspondem a 40% das internações por trauma no pronto-socorro do HC

Estudo feito pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, mostra que atropelamentos e acidentes com motocicletas são as principais causas de internação por traumas no Serviço de Cirurgia de Emergência e Trauma do pronto-socorro do Instituto Central.

As vítimas de atropelamentos representaram 20,5% das internações por traumas, seguido por 19,5% de acidentados por motocicletas. Os dados são referentes aos atendimentos realizados no ano passado. Os homens são a maioria das vítimas, 62,9% em atropelamentos e 89,3% dos acidentados com motos.

Entre as vítimas com até 16 anos, 30% dos casos internados foram por atropelamento e 5% por acidentes de motos. De 17 a 30 anos, 39% das internações foram por acidentes de moto e 21% por atropelamento. De 31 a 45 anos, 21% se referem a atropelamento e 17% por acidente de moto. De 46 a 60 anos, 22% das internações foram por atropelamento e 5% por motos. Já entre os pacientes maiores de 60 anos, 23% dos acidentes foram por atropelamentos e apenas 1% de acidentados com motocicletas.

“O número elevado de internações por trauma, além de onerar todo o sistema de saúde, traz um comprometimento social e da esfera trabalhista”, explica Fernando P. Leitão, professor do Departamento de Cirurgia do HC-FMUSP.
No Serviço de Cirurgia de Emergência e Trauma, 43% dos pacientes atendidos possuíam algum tipo de trauma. Entre esses pacientes, 11% precisaram de internação.

Publicado por Assessoria de Imprensa em